DEZ AO CUBO- DOIS ANOS

Ao completar dois anos de atividades agregadoras em experimentos artísticos, seis exposições coletivas, uma internacional, mais de 100 artistas envolvidos, idas e vindas e reformulações por meio do sistema democrático, tão fragilizado atualmente, o grupo de artistas fundadores do Dez ao Cubo se reúne para comemorar a data no mesmo espaço onde deu seu pontapé inicial, a charmosa Galeria Hiato, em Juiz de Fora, Minas Gerais, do mesmo jeito que desenvolveu seus projetos posteriormente convidando outros artistas a se juntarem ao congraçamento da arte.

Pensando pelo caminho de reunir ideias e explorar possibilidades de diálogos em diferentes instâncias é que se mantêm vivas e instigantes as ações propostas pelo grupo que se desloca em outros eixos que não apenas Rio-São Paulo, que abraça diferentes gerações de artistas, múltiplas linguagens, tudo em plena harmonia pelo desejo maior de ampliar fronteiras, audaciosamente.


As mil maneiras de se fazer arte estão sendo repercutidas a cada encontro, em módulos aparentemente desprovidos de maiores consequências; contudo, o fôlego ainda fresco que perpassa os eventos do grupo mostra a capacidade de inspirar na mesma medida que inova seu repertório. Daquele momento inicial em que se discutiu se o cubo tinha dono até esse instante, o Dez ao Cubo fez história com seu tema irreverente que alimentou toda uma jornada de mostras bancada por mentes abertas e ousadas que se mantiveram independentes e alertas para além das arestas do cubo branco.


Osvaldo Carvalho